wish

1. Matar a saudade de um vinho lindo, em casa, sem ninguém, sem preocupações, também não rolou :(;

2. Conseguir ingressos de última hora pro show do Nando Reis, no sábado, que não vai mais rolar porque sábado é dia de comemorar noivado dos amigos ♥;

3. Fazer a bendita tatuagem, fui cagona e não fiz;

4. Passar em todas as matérias da faculdade, passei \o/;

5. Conseguir voltar a fazer a mão sozinha, #FAIL resolvi continuar pagando pra isso.

Anúncios

saudade

Eu amo quando coloco músicas novas no iTunes :) Atualizei hoje e resolvi ficar ouvindo, enquanto o sono não vinha. Aí começou a tocar “Canção Pra Você Viver Mais”, do Pato Fu, e comecei a pensar em gente que me faz muita falta (na verdade, voltei a pensar, porque eu me lembro deles dois todos os dias, várias vezes por dia).

20121126-013751.jpg

E então de Pato Fu eu caí em “O Anjo Mais Velho”, d’O Teatro Mágico. Deu aquele nó na garganta ao ouvir “Só enquanto eu respirar, vou me lembrar de você”. Isso é algo que eu prometo pra toda pessoa querida, e percebi, quando elas se vão, que isso é realmente verdade.
Em janeiro, eu perdi um grande amigo, pra um acidente num lago congelado. Em maio, perdi meu vô, pra uma pneumonia que já estava durando mais de um mês.

Posso dizer que, desde a primeira semana de 2012, os dias tem sido difíceis. Não pelo sofrimento, porque isso já passou (apesar de a dor parecer eterna), mas pela saudade.

E eu tive um dos aniversários mais angustiantes esse ano. Chorei nos primeiros e nos últimos minutos do meu dia, porque faltou (e eu sabia que ia faltar) uma mensagem, via Facebook, do Henrique, e um telefonema do Sr. Alfredo falando “Ô, filha! Feliz aniversário, viu? O vô te ama muito!” (eu escrevi isso lembrando da voz dele).

E deu saudade, aquela dor que chega a ser física, é aquele vazio que fica bem no meio do peito, aí você põe a mão e fala “eu sinto um negócio estranho aqui”.

E essa imagem do início do post é bem verdade, “A vida só é preciosa porque ela acaba”; não digo só pela minha vida, mas pelas dos outros queridos. A vida de cada um é muito preciosa pra mim, porque acaba, porque essa saudade é ruim demais.

saudade1

– longas caminhadas pela Av. Paulista, sem pressa;

– conversas de MSN, até olhar no relógio: “OMG! SÃO QUASE 4 DA MANHÔ;

– sair pra fotografar;

– ouvir Mallu Magalhães;

– terminar de ler um livro (faz um booom tempo que eu não faço isso);

– escrever histórias, só pra mim;

– pizza com champanhe;

– beber (só não sinto falta do que acontece depois u_u);

– sleepover na casa da Thainá, com a Tatiane e a Mariana (minhas melhores amigas da época do colégio);

– viajar;

– passar datas comemorativas com a família toda;

– ir ao Hopi Hari;

– assistir a qualquer programa de TV, à tarde;

– ficar dias só fazendo o que me deixa feliz;

– fechar algum passeio na Häagen-Dazs da Oscar Freire;

– ficar encolhidinha em um dos sofás gostosinhos da Starbucks da Alameda Campinas;

– dramas pós festas, por causa de qualquer amor platônico;

– sair com as amigas (antes dos 18) bolando um plano B, caso não conseguíssemos entrar na balada;

– a “levantada” de uma sobrancelha só que o Henrique dava (quando ele fazia isso, significava que alguém tinha falado algo estranho/engraçado e eu estaria rindo em 5 segundos);

– minha chapinha (preciso comprar uma nova!);

– aulas de Química (eram bem mais fáceis do que fazer um cronograma de campanha publicitária);

– dançar;

– tomar vinho;

– assistir a filmes de menininha;

– ir a alguma exposição;

– comida mexicana do La Buena Onda, da R. Itapura;

– assistir The Hills;

– assistir Gossip Girl;

– ir a algum show;

– ouvir meu vô reclamar :'(